Archive for the Gypsy Pistoleros Category

Entrevista com: Lee Pistolero – Gypsy Pistoleros

Posted in Gypsy Pistoleros on June 4, 2009 by attheodoro

Brian Rademacher, do RockEyez.com entrevistou no fim de maio o vocalista dos Gypsy Pistoleros, banda inglesa que faz uma mistura interessante de rock de qualidade e música espanhola. Os Pistoleros anunciaram recentemente, também, dois novos membros: Dee Dee Pistolero no baixo e Denny Pistolero na bateria, completando o line-up com Lee Pistolero (vocal) e Iggie Pistolero (guitarra). 

Para conhecer melhor a banda: MySpace.

 

Brian Rademacher: Oi Lee, seja bem vindo ao RockEyez.com. Desde que nos tornamos amigos há uns dois anos e nos conhecemos pessoalmente ano passado no Rocklahoma, vocês não param. Quando descansarão?

Lee Pistolero: Oi Hermano! Nunca! É 24 horas por dia! Nossas vidas em casa (Iggie e eu) é pior ainda.

Brian: Desde que ouvimos pela primeira vez Gypsy Pistoleros quando vocês nos mandaram “Wild, Beautiful, Damned!” em 2007, que recebeu cinco estrelas em nosso site, tudo que vocês têm lançado é cada vez melhor. Até Tracii Guns comentou que vocês são um dos melhores grupos de Rock ‘n’ Roll que saiu do Reino Unido nos últimos anos! Como você se sente com o fato de todo mundo amar os Pistoleros?

Lee: Sinto que eu não mereço! Nós não fizemos nada ainda! O novo álbum “Welcome to the Hotel de La Muerte” será nosso primeiro lançamento não independente, no mundo todo! Aqui está uma lista exclusiva dos nomes das músicas, porque nós te amamos, Bri! “Hotel de La Muerte”, “Walk through the Shadows”, “Son Ilusiones” (totalmente em espanhol), “Living down with the Gypsies” uma balada ÉPICA (foda) de 8 minutos e 20 segundos, “Sangre de las Rosas”, além de novas versões de “Pistolero”, “Bandido, Ay que Dolor”, “Para Siempre”, “Living la Vida Loca” e “Shotgun Kiss”.

Brian: “Para Siempre” foi lançado em 2008 e, mais uma vez, cinco estrelas! Vocês incluíram um cover de “Living La Vida Loca” de Ricky Martin. Tinha alguma outra música que queriam fazer além desta?

Lee: Eu queria fazer “Stand & Deliver”, Adam & The Ants! E algumas do Gypsy Kings. Eu perdi…

Brian: Vocês estiveram no Rocklahoma em 2007 e 2008 e estarão de volta em 2009. O que há de tão especial neste evento?

Lee: Foi nosso debut nos Estados Unidos, graças a uma promessa de Tracii Guns. Somos uma banda nova, mas amamos o estilo dos anos 80! Estamos meio que no meio e somos aceitos nele. Acho que somos uma versão punky de Gypsy Kings ou um Hanoi Rocks mais fudido numa embalagem espanhola.

Brian: Vocês dormiram durante os 4 ou 5 dias? Porque pra onde quer que eu olhasse eu via um Pistolero…

Lee: Só quando tombávamos! Ficamos no Hotel Hilton Gardens (no aeroporto). Eu dormi lá duas vezes em seis dias, acho. Eu acordava no acampamento quase toda manhã. Nós amamos as pessoas e toda a vibe ROK, cada minuto que passamos foi especial.

Brian: Eles tratam bem os artistas lá?

Lee: Super bem! Mas não é só o tratamento dos artistas, é a reação do público que é maravilhosa!

Brian: Acho que te vi mais na platéia do que no palco e este ano vocês estão tocando no palco principal. Você acha que isto é porque estão com uma gravadora ou porque agora vocês estão grandes?

Lee: Nós deixamos de lado um acordo com a Vistory Records por um acordo melhor!! Ano passado tivemos o maior público do palco secundário no ROK, mais do que muitas das bandas do palco principal. Somos filhos do ROK, filhos das bandas americanas. Feita pelo povo para o povo!

Brian: Seu novo mini-CD “Welcome to the Hotel de La Muerte” sairá em junho, acompanhado de um álbum ao vivo “Live for one night only at The Titty Twister, Mexico!”, com dez músicas ao vivo. Pode nos contar algo desse mini-CD e do CD ao vivo?

Lee: Tudo mudou! Acordo novo, tudo novo!  A gente tinha descartado um álbum inteiro e aí uma grande gravadora veio falar com a gente!! Em outubro teremos o álbum lançado no mundo inteiro! A gente está ralando pra ter um mini-álbum de 5 músicas lançado como um especial para o Rocklahoma! É algo que pedimos no novo acordo. Gravaremos do dia 8 ao 22 de junho, estão tem  que dar certo.

Brian: Fale da capa feita por Jo Burgon (LA Guns, Wednesday 13, Metallica)?

Lee: Ela é ótima, uma artista muito boa! É uma amiga que está com a gente desde o começo. Candymachine Art – vejam o trabalho dela, uma moça talentosa, agora tatuadora!!

Brian: E sobre as mulheres na estrada?

Lee: Amo! O que acontece na estrada fica na estrada! Você sabe disso, cara! Pergunte ao Tracii sobre nosso show em Londres (Underworld). Inacreditável! E se ele te contar, não publique!

Brian: O que os Gypsys levam para a Estrada?

Lee: Bebida, cigarro, risadas e estupidez.

Brian: Quando você volta para casa no Reino Unido, o que faz?

Lee: Tento ser um ser humano normal… E falho.

Brian: O que te deixa bravo?

Lee: Falsidade! Interesse! Gente com duas caras, inveja. Bambambãs que se acham e acham que tem algum poder sobre você! Vão se fuder! Uma vez um punk, sempre um punk.

Brian: Com que banda você mais se divertiu na estrada e por quê?

Lee: LA Guns do Tracii Guns! Éramos uma grande família fudida na turnê na Europa e Reino Unido. Estaremos junto com eles mais uma vez na Europa e RU no fim do verão!

Brian: Você tem filhos ou planeja ter uma família algum dia?

Lee: Três filhos ótimos. Um menino de 9 e duas meninas gêmeas de 8. Retribuição divina!

Brian: Você coleciona alguma coisa? O quê?

Lee: Nada,c ara. Eu perco tudo! Coisas materiais e não materiais! Ei, quando você olha pra trás, o quê você tem além das lembranças?

Brian: Para onde você acha que você vai quando morrer?

Lee: É o fim! Mas aí vocês espalharão o fogo!

Brian: O que os fãs podem esperar dos Gypsy Pistoleros no Rocklahoma?

Lee: Tudo, coração, alma, tocamos cada show como se fosse o último! Mas esse ano… Acho que temos que botar aquelas bandas do palco principal no chinelo e mostrar que tem alguém novo no pedaço! Um novo regime! E nós vamos mostrar!

Brian: Lee, foi ótimo mais uma vez conversar com você. Quer deixar um último comentário?

Lee: Eu amo você, cara! Você esteve lá desde o começo e nós agradecemos isso! Vai ser interessante quando começarmos a ganhar muito dinheiro! Você nos conhece, Bri, me chuta se eu algum dia pensar que estou muito ferrado ou muito cansado pra conversar, rir e fazer festa com gente de verdade, gente que importa!