Archive for the Crazy Lixx Category

Entrevista exclusiva com: Andy – Crazy Lixx

Posted in Crazy Lixx on April 12, 2010 by attheodoro

O site Rökk on! está de volta depois de um longo período inativo. Aqui está uma pequena entrevista exclusiva realizada durante esse período que não chegou a ser postada: Andy, guitarrista da banda Crazy Lixx, fala um pouco da história da banda e do novo álbum, “New Religion”, lançado dia 19 de março. O álbum já recebeu ótimas resenhas no mundo inteiro e destaques nos maiores sites e revistas de rock. Atualmente, a banda está em turnê na Suécia, seu país de origem.

Rökk on: Para quem ainda não conhece Crazy Lixx, você pode nos falar um pouco da banda?

Andy: Somos uma banda de Hard Rock de Malmö (Suécia), formada em 2002. O primeiro álbum, “Loud Minority”, foi lançado em Novembro de 2007. Logo depois, Vic Zino saiu para se juntar ao Hardcore Superstar e eu entrei na primeira metade de 2008 e agora estamos ansiosos para lançar o “New Religion”. A banda é formada por Danny (vocal), eu (guitarra), Luke (baixo) e Joel (bateria).

Rökk on: Sobre o “New Religion”, o que podemos esperar do novo álbum? Vai ser mais parecido com “Loud Minority” ou vocês estão mudando um pouco a direção?

Andy: Bom, é um pouco diferente do primeiro álbum, claro. É o que queríamos que fosse. Eu acho que este é maior, mais barulhento e melhor, mas o principal é que as músicas estão muito mais fortes. Há várias músicas ótimas em “Loud Minority”, tipo Dr Holywood, Hell or High Water, Heroes are Forever e Want it, mas em “New Religion” todas as músicas são ótimas. A gente escreveu bastante antes de escolher a lista final. Acho que escrevemos mais de 30 músicas e um número ainda maior de idéias para músicas, então foi difícil escolher as melhores. Outra coisa legal é que todo mundo cresceu como músico, principalmente o Danny. Ele cresceu como vocalista e compositor e acho que dá pra perceber isso ouvindo o CD.

Rökk on: Legal… E o que vocês estão esperando desse álbum? Acho que tem bastante gente esperando ansiosos por ele; quais são suas impressões?

Andy: No momento está tudo muito bom, bastante gente e a imprensa falando do álbum. Espero que todos os nossos fãs que gostaram de “Loud Minority” vão gostar deste também, mas eu não sei muito bem o que esperar. Só espero que o álbum nos coloque no caminho certo pro nosso objetivo que é crescer o máximo possível como banda e alcançar cada vez mais gente, claro. A gente gastou bastante tempo e energia com este álbum e realmente acreditamos nele, o que eu acho que é o mais importante: acreditar.

Rökk on: Chris Laney [produtor] citou uma vez vocês como uma das bandas mais promissoras do sleaze sueco. O que acha disso? Vocês se sentem parte dessa cena de sleaze sueco?

Andy: Bom, sim… No começo da banda, em 2002, a Crazy Lixx com certeza teve um papel importante, junto com o Crashdïet, Babylon Bombs e tal, mas eu acho que hoje em dia a gente se destaca da maioria das bandas do estilo, principalmente agora com o “New Religion” que é mais hard rock/arena rock, mas claro que ainda com alguns elementos de sleaze.

Rökk on: Em que lugares vocês já tocaram? Como é o Crazy Lixx na estrada?

Andy: A banda já tocou na Suécia, Itália, Suiça, Alemanha, Dinamarca, Finlândia, Inglaterra, Escócia e nós amamos estar em turnê. Eu guardo um monte de coisas legais e boas lembranças da estrada.

Rökk on: Essa foi sua primeira vez gravando com o Crazy Lixx. Como foi? Você pôde adicionar suas idéias e tal?

Andy: Sim, foi muito bom. Eu e Danny que escrevemos as músicas de “New Religion”. Algumas juntos, algumas separados e gravamos demos para quase todas, então quando entramos no estúdio, nós já tínhamos uma idéia de como queríamos que soasse. O Chris Laney também jogou várias idéias durante o processo de gravação, ele fez várias coisas muito boas. Foi muito bom trabalhar com ele, eu aprendi bastante e estamos muito contentes com o resultado.

Rökk on: Obrigada por responder a essas perguntas. Boa sorte com o “New Religion”, eu tenho certeza de que vai ser demais.

Andy: Valeu!

Crazy Lixx: New Religion a caminho

Posted in Crazy Lixx on December 2, 2009 by attheodoro

A banda sueca Crazy Lixx, após semanas no estúdio com o produtor Chris Laney, terminou seu novo álbum New Religion, que deverá ser lançado nos primeiros meses de 2010.

“Passamos horas intermináveis no estúdio. O produtor Chris Laney trabalhou muito e todo mundo fez além do que imaginávamos que seria possível. O resultado é simplesmente demais!”

O álbum será lançado pela Frontier Records, que acaba de assinar um contrato com a banda.  “Estamos extremamente contentes com essa parceria com a Frontier e temos um ótimo álbum a caminho. É claro que esperamos que esse álbum seja um grande salto na nossa carreira”, diz o vocalista Danny Rexon.

A banda ainda está trabalhando na parte gráfica do CD e espera entregar o material pronto para a gravadora até o fim do ano.

Este será o tracklist de New Religion:

1. Rock and a Hard Place
2. My Medicine (R.O.C.K)
3. 21 ‘Til I Die
4. Blame it on Love
5. Road to Babylon
6. Children of the Cross
7. The Witching Hour
8. Lock up Your Daughter
9. She’s Mine
10. What of our Love
11. Desert Bloom
12. Voodoo Woman

Entrevista com: Chris Laney

Posted in Chris Laney, Crazy Lixx, Zan Clan on December 2, 2009 by attheodoro

O site SleazeRoxx publicou, no dia 29 de novembro, uma entrevista com o músico e produtor Chris Laney, que acaba de produzir o novo álbum da banda sueca Crazy Lixx. Na entrevista, Chris Laney fala desse e de outros projetos, tanto como produtor quanto como músico.

Sleaze Roxx: Você acabou de terminar o novo álbum do Crazy Lixx CD, o que vai fazer agora? 

Chris Laney: Eu estou produzindo uma banda secreta… Depois vou começar a trabalhar no meu novo álbum solo!

Sleaze Roxx: Você já tem músicas prontas para o novo álbum solo? 

Chris Laney: Quem me dera! Eu tenho umas quatro músicas escritas, então espero que o Papai Noel me traga mais 10. 

Sleaze Roxx: Você já tem alguém em mente pra tocar no novo álbum?

Chris Laney: Provavelmente vai ser só eu. Conny Bloom do Electric Boys/Hanoi Rocks e eu vamos fazer uma música juntos e Nalle Pahlsson vai tocar um pouco de baixo. George Egg, Rob Love e John Berg da minha banda ao vivo, e a banda deles, Dynasty, também vão estar lá.

Sleaze Roxx: O som vai ser parecido com Pure? 

Chris Laney: Bom… Eu não sei, pra falar a verdade. Eu escrevo do coração. Algumas coisas que escrevi são mais arena, mais fortes e alguns até podem dizer mais pop, mas para mim é boa música. Vai ter algumas músicas tipo Zan Clan, mas que se dane, eu também escrevi aquelas músicas (risos) !  Bom, como eu disse, vai ser um rock n roll fudido. Nada de ciência nuclear/ muito complicado, só rock.

Sleaze Roxx: Falando do Zan Clan, o que está acontecendo com a banda ? 

Chris Laney: A gente a deixou de lado por alguns anos porque não conseguíamos um acordo. O Easy Action conseguiu um então o Zinny Zan ficou meio de lado, eu tinha o Animal de Randy Piper. Rob formou o Dynasty e Johan Koleberg e Nalle ‘Grizzly’ Pahlsson foi para o Animal comigo. A gente tem um álbum inteiro escrito, mas nenhuma gravadora nos queria… Então o que podemos fazer? Mas ALGUM DIA!!!

Sleaze Roxx: Esse ano você anunciou que ia sair do Animal. Você sabe se a banda vai continuar sem você?

Chris Laney: Eu falei com Randy Piper há uma semana e ele quer reunir a banda, mas agora não é uma boa hora. Eu amo o cara e Rich Lewis, que tem uma das melhores vozes do mundo, na minha opinião. A gente conversou e vamos dizer que… vamos ver!!! Eu amo os caras e estou muito orgulhoso do que fizemos. Então… Como o Zan Clan, vamos esperar a hora certa!

Sleaze Roxx: Quando eu fiz a resenha do novo álbum de Steevi Jaimz, eu disse que você tinha conseguido reviver as carreiras dele e de Zinny. O que acha disso?

Chris Laney: Bem… Eu não revivi nada, eles que o fizeram. Eu sou só um bom médico (risos). Eles são todos heróis para mim e eu amo o fato de termos feito esse álbum juntos. Mais importante ainda, fazer um álbum deixa as pessoas tão próximas que é até estranho. Esses caras são os super amigos, a gente ainda se fala semanalmente… Eu fico feliz de poder fazer isso. Acho que ajuda o fato de que sou um fã vindo de fora dizendo “Hey, vocês deviam fazer isso ou aquilo porque é o que eu, como fã, gostaria de ouvir.”

Sleaze Roxx: Você algum dia sonhou que pudesse ter tanto impacto na música dos seus heróis?

Chris Laney: Não… É muito louca (risos). Eu ainda tenho que me beliscar de vez em quando.

Sleaze Roxx: Há algum outro herói seu com o qual você gostaria de trabalhar?

Chris Laney: Paul Stanley, Def Leppard, Jani Lane e Pretty Maids. Quer dizer, tem vários, mas esses são os principais.

Sleaze Roxx: O Def Leppard está precisando de uma ajuda sua, eles parecem ter ido em uma direção completamente diferente.

Chris Laney: É… Eles precisam do Mutt Lange de volta. Falando do Mutt… ele é DEUS ! Eu odiava Nickleback e aí um dia ele os produz e « bam », ele tirou a banda da minha lista dos odiados e os tornou muito bons. Idiota… Não só pode mais odiar uma banda em paz?!

Sleaze Roxx: Você e Mutt parecem ser capazes de pôr em evidência um som melódico e forte das bandas que produzem. Como você faz isso ?

Chris Laney: Uau, obrigado!!!!! Eu só ouço bastante a Mutt e penso… Como ele faria isso? Hahahaha, não, na verdade não. Para começar, tudo está na música, e o arranjo. Quando isso está feito, a mixagem é fácil.

Sleaze Roxx: Então o que está acontecendo na Suécia ? Parece que a cada dia surge uma nova revelação.

Chris Laney: Não sei ?!?! Eu recebo convites para shows todo santo dia… são tantas bandas!!

Sleaze Roxx: Está ficando difícil de acompanhá-las todas. Você acha que o mercado vai ficar saturado lá ?

Chris Laney: Eu não me preocupo com isso… Ainda são poucos que conseguem lançar um álbum. Na minha opinião, tem o Crazy Lixx, o Hardcore Superstar, o Babylon Bombs e o Crashdiet. Essas são as bandas que estão acontecendo mesmo… e o H.E.A.T.

Sleaze Roxx: Vendo que você produziu muitas dessas bandas, vamos falar um pouco disso. Como está o novo álbum do Crazy Lixx ? 

Chris Laney: maravilhoso, umas músicas muito boas… O Danny Rexon é o novo Desmond Child, cara, ele escreve umas músicas fodas! Você tem que ouvir My Medicine, Dont Blame It On Luv, Children Of The Cross… cara, tem um monte !!! Eu estou muito orgulhoso desse álbum e os desejo TODA a sorte do mundo.

Sleaze Roxx: Eu venho falando bem do Crazy Lixx há anos, pra mime les são o que há de melhor na Suécia agora.

Chris Laney: Legal!!! Você não vai se decepcionar!! Quer dizer, o primeiro álbum é muito bom. Eu ainda adoro, mas as músicas desse são muito mais fortes. Mais do tipo Dr Hollywood e Want It, essas coisas… E Andy Dawson, o novo guitarrista é um guitar-hero… Espere para ver!

Sleaze Roxx: Eu também gosto muito do novo som que você deu ao Babylon Bombs, quem diria que usar cordas poderia funcionar tão bem no hard rock ?

Chris Laney: Os Guns N’Roses usaram, o Kiss usou no Destroyer (risos). Quando ouvi essa música pela primeira vez, Liberation, eu logo pensei em Live And Let Die de Paul McCartney e disse « vamos fazer algo assim, grande, cinemático ». Como sempre digo às bandas, « eu tento pular 2 metros, mas se só conseguir pular um metro e meio, também está bom ». Em Liberation, acho que a gente conseguiu 1,80 metros (risos).

Sleaze Roxx: Você também trabalhou com bandas novas tipo Starrats, Dynasty, Vanity BLVD e Blackrain. Está orgulhoso desses álbuns?

Chris Laney: Eu sempre tento fazer meu melhor. Algumas vezes, o budget não me deixa fazer do jeito que gostaria, e aí eu fico frustrado. Eu não produzo tanto quanto mixo porque eu não posso fazer mais do que quatro álbuns por ano. Eu não quero produzir algo pela metade.

Você falou de Vanity BLVD como se fosse uma banda nova… Eu fiz esse álbum há uns 3, 4 anos (risos)!!!! Às vezes as coisas são lançadas muito tempo depois e isso não é legal. As bandas ficam melhores e eu também, e agora eu não falo mais do Vanity, só dos lançamentos novos.

Os caras do Dynazty são meio que meus irmãos mais novos, ótimas pessoas. Eles estavam juntos há poucos meses quando fizemos aquele álbum e melhoraram bastante desde então. É um disco legal, mas da última vez em que os vi, eles estavam muito melhores. O Starrats é uma banda legal da Dinamarca que eu mixei, acho que uma mistura de old e new school, assim como (na minha opinião) o Brackrain. O que posso dizer… Eu tento agradar, às vezes não consigo fazer algo virar ouro, só prata, mas faço o meu melhor (risos).

Sleaze Roxx: Qual é a diferença entre trabalhar com novas bandas e com bandas já estabelecidas, como Bai Bang ou Glorious Bankrobbers? 

Chris Laney: Não tem, pra falar a verdade. Muitas vezes é mais fácil com caras que já fizeram isso antes. Bandas novas podem ser uma chatice porque não sabem o que esperar nem como conseguir o que querem.

Há álbuns dos quais não gosto muito porque as bandas não confiaram em mim e eu ouvi demais suas preocupações e opiniões. É algo que eu prometi nunca mais fazer. O trabalho deles é ser uma banda e compôr… O meu é transformar isso em um álbum.

Sleaze Roxx: É difícil obter um som limpo sem produzir demais e tirar a vida das músicas? Eu sempre achei que a música tem que estar sempre um pouco suja no CD.

Chris Laney: É difícil. Se nada é « feio », nada é « bonito ». Eu não sei quantas vezes eu peguei minha guitarra e toquei um pouco sem jeito por cima de um take ÓTIMO só pra tornar a música um pouco mais suja… e ninguém descobriu (risos).

Sleaze Roxx: Já que você está bem no meio da invasão sueca, há alguma banda nova, tirando as com quem você ja trabalhou, que merece atenção?

Chris Laney: Baby Jane é uma banda legal… Eu fiz um demo, mas isso não conta, né?! Eles são de Gothenburg. Há várias bandas legais por lá, mas na verdade eu passei 46 dias seguidos no estúdio… Sem descanso.  Fica difícil acompanhar as bandas e ir a shows.

Sleaze Roxx: Então você tem um álbum do Zan Clan pronto para ser lançado se alguma gravadora se interessar, está prestes a começar a trabalhar num álbum solo e continua produzindo e mizando. Você não para nunca?

Chris Laney: Vou começar a escrever o novo álbum dia 7 de Dezembro. O álbum vai ser gravado em Janeiro e lançado no fim da primavera [no hemisfério norte]. Eu tenho alguns outros projetos, mas nada muito certo.

Eu devo ser um workaholic… Mas pô, eu AMO música!! Amo! Como é possível para de fazer o que se ama? Eu me sinto abençoado por poder fazer o que estou fazendo. Quem sabe, ano que vem tudo isso pode acabar… Quem sabe? Eu só sei que vou continuar fazendo isso. Não pelo dinheiro, porque só Deus sabe o quão pouco um álbum vende… Eu faço isso porque amo rock n roll.