Archive for the Backyard Babies Category

Backyard Babies: afinal, pausa ou fim da banda?

Posted in Backyard Babies on February 16, 2010 by attheodoro

Mais ou menos há uma semana eu pude ver o Backyard Babies ao vivo, em Paris. Depois de terem anunciado que fariam uma pausa por tempo indeterminado depois desta turnê, este show tinha um certo clima de “último show”. Mas, afinal, eles estão se separando ou não? Era o que todo mundo se perguntava.

A banda tocou músicas de toda sua carreira, desde “Fill Up This Bad Machine” e “Electric Suzy” do primeiro álbum (Diesel & Power) até músicas do último lançamento (Backyard Babies), como “Abandon” e “Nomadic”, passando por hits de todos os álbuns e a tradicional versão de “Babylon” (cover de Faster Pussycat). Foi um set longo e bem diversificado.

Depois do ótimo show, eu pude fazer a pergunta que todos queriam fazer ao vocalista, Nicke Borg. Na primeira vez, ele olhou com uma cara de dúvida e fez “Ahn… Não sei, viu… Não sei.” Na segunda, ele chegou a falar que tinha alguns planos para depois da turnê.

“Com certeza vai rolar algumas coisas, mas nada que eu possa dizer com certeza agora. Nada com o Backyard Babies.”

Em uma entrevista, Nicke havia dito que queria “retomar tudo de onde eu parei. Idéias, projetos, parceiros de composição e coisas que não têm nada a ver com música. Não tenho nenhum plano específico. Só quero terminar de construir meu estúdio em casa, sair um pouco da estrada e retomar as coisas.

Por muitos anos, a banda foi minha vida. Mas nos últimos anos eu ando sentindo que eu tenho que perceber que é só uma banda. Durante anos, minha vida foi uma banda, mas agora minha vida é minha vida e a banda é o que eu faço. Continua sendo ótimo, mas hoje em dia a minha vida não se resume mais a isso.”

Isso, claro, vai em contradição com o que disse o guitarrista Dregen há algum tempo: “a pausa não vai durar mais que um ano”.

“Nós não conversamos muito sobre isso” – disse Nicke em relação ao guitarrista. “Dregen é músico, ele vai continuar fazendo música.”

Infelizmente, não consegui tirar nada do guitarrista, então ainda fica a questão: eles vão mesmo se separar? Em todo caso, esperamos que não.

// Tete.

Publicado originalmente no Rock Hospital.

Advertisements

Backyard Babies: “pausa indeterminada” não deve demorar mais que um ano

Posted in Backyard Babies on January 13, 2010 by attheodoro

Como foi publicado aqui, a banda Backyard Babies tinha declarado que faria uma pausa indeterminada logo após a turnê de promoção da caixa comemorativa de aniversário de 20 anos da banda. No entanto, segundo o guitarrista Dregen, essa pausa não deve demorar mais do que um ano.

“Estamos falando de meses.” diz o guitarrista. “Para o Backyard Babies, duas semanas já é muito tempo. Um ano seria o máximo absoluto!”

fonte: Classic Rock magazine

Backyard Babies: pausa indefinida

Posted in Backyard Babies on December 8, 2009 by attheodoro

Em entrevista recente para a alemã PitCam Productions, o Backyard Babies confirmou que faria uma pausa indefinida depois de uma turnê em janeiro e fevereiro pela Europa.

“Eu passei 20 anos na estrada e fico feliz com isso”, disse o vocalista Nicke Borg. “Pra mim, é hora de procurar um novo estilo de vida, com um pouco mais de segurança. Além disso, estou me sentindo extremamente criativo e querendo trabalhar o tempo todo. Há tantas coisas que gostaria de fazer que eu, infelizmente, não tive tempo estando constantemente em turnê.” “Nós precisamos respirar um pouco antes de começarmos a gravar de novo”, disse ainda o guitarrista Dregen.

A banda está completando 20 anos e, para comemorar, lançará em janeiro uma caixa com um DVD – documentário três CDs e um livro de fotos de 120 páginas. A caixa ‘Them XX’ contém material dos 20 anos de carreira, incluindo material raro e inédito. “Nós colocamos música de todos os nossos álbuns, mas nos concentramos nos lado-b, nas coisas raras ou que nunca foram lançadas.”

Para assistir à entrevista em inglês, clique aqui.

Download Festival: breve resenha

Posted in Backyard Babies, Black Stone Cherry, Buckcherry, Def Leppard, Hardcore Superstar, Journey, Mötley Crüe, Million Dollar Reload, Steel Panther, Tesla, Whitesnake on June 29, 2009 by attheodoro

O Download Festivala 2009 aconteceu em Donington, Reino Unido, entre os dias 12 e 14 de Junho. Segue abaixo a tradução de uma resenha feita pelo site Hairmetaland.

 

O glam novo e antigo teve bastante espaço na edição de 2009 do Download Festival.

Começou na sexta-feira com o Backyard Babies no Turbog stage. Como sempre, a banda sueca apresentou um ótimo set misturando músicas velhas e novas. Foi uma apresentação boa e o “Minus Celsius” obteve a já prevista boa reação do público.

Eles foram, sem dúvida, um bom aquecimento para o Mötley Crüe no segundo palco. Havia rumores de que o Crüe tocaria todo o “Dr. Feelgood” em todas as datas européias. Não foi o caso. Eles tocaram as bem conhecidas “Wildside”, “SOS”, “Shout at the Devil” e uma boa surpresa, “On With the Show”. Algumas novas como “Motherfucker of the year” e “Saints of Los Angeles” também estavam lá. O Crüe estava bem em forma e o público definitivamente se divertiu. A única coisa ruim foi que eles demoraram tanto para voltar ao encore com “Home Sweet Home” que muita gente, inclusive eu, pensou que o show estivesse acabado e foi embora para o palco principal ver o Faith No More.

Sábado parecia um pouco apagado para o glam, mas o Hardcore Superstar estava lá para compensar! A banda que perdeu o show no Download há dois anos porque o ônibus quebrou tocou este ano principalmente material novo. Eu não consigo me lembrar de ter visto alguma banda com tanta energia no palco. Músicas como “Bag on your head” e a última “We Don’t celebrate Sundays” foram fantásticas. Eu gostaria de ver esses caras com um set maior, acabou muito rápido.

Domingo teve Tesla. “Breaking Free” e “What you give” foram destaques. Não acho que um set de 30 minutos deveria incluir um solo de guitarra, mas isso não impediu os roqueiros de mandar bem durante as 12 músicas!

Após isso, o Million Dollar Reload subiu ao palco. O show começou bem com “Fire your guns”. Eu não conseguia acreditar na reação do público, que cantava em voz alta “Goodnight Tonight New York” e “Living in the City”. A energia e a presença de palco da banda mereciam um palco maior e espero que seja o caso ano que vem! Fantástico.

Depois fomos ver Black Stone Cherry. Eu queria muito ver os caras após ter visto um show muito fraco deles em Belfast ano passado. Desta vez, foi diferente, um ótimo desempenho dos caras. Foi legal ver tanta cabeça sendo balançada durante “Lonely Train” e, apesar de eu odiar ter que admitir isso, “Things my father said” me fez chorar.

Passamos no bar rapidamente antes de ver o Journey subir ao palco. O front man Arnel Pineda fez um trabalho fantástico sem deixar o clima esfriar hit após hit. Uma coisa ruim, eles só tocaram 8 músicas! Mas foram oito maravilhas, “Change for the Better” e “Wheel in the sky” foram boas e os destaques ficaram para o final. Foi fantástico ouvir todo mundo cantando junto “Don’t stop believing” e “Anyway you want it”. Um encore teria sido legal, mas acho que eles não tinham tempo. Depois desse show, eu mal posso esperar para vê-los de novo.

Fomos para o palco Turbog ver o Steel Panther. Infelizmente, nós subestimamos o poder do hard rock oitentista deles, assim como a direção. Não conseguimos chegar perto o bastante para ver o show. Derrotados, decidimos ir para o segundo palco ver…

Buckcherry. Os caras pareciam entusiasmados com as novas músicas do “Black Butterfly”. Pessoalmente, eu gostaria de poder ouvir mais músicas do primeiro CD, mas pela reação do público, todos estavam amando. A coisa perdeu fôlego durante “Sorry”, mas depois eles voltaram com tudo até o fim do set com “Crazy Bitch”.

O quê dizer sobre o Whitesnake? Foi a terceira vez que vi Coverdale e companhia nos últimos anos e as coisas não mudaram muito. O set, o palco e até a camiseta do Coverdale eram os mesmos. A única coisa que mudou foi o line-up. Clássicos como “In the still of the night” e “Here I Go again” foram recebidos com a alegria familiar do público. Tenho que admitir que a versão lenta acústica da minha música preferida deles, “The deeper the love”, está me cansando. Para uma banda com tanto material fantástico, acho que eles podiam misturar um pouco mais.

A última banda do fim de semana foi Def Leppard. Tudo começou como previsto. Um público bem variado cantando hinos como “Rocket”, “Photograph” e “Animal”, baladas como “Two steps behind” e “Love Bites” e a nova “C’mon C’mon”. Não havia lugar para tédio naquele show até o fim, fechando o festival com a previsível, mas inevitável “Let’s get rocked”.

 

Para assistir a trechos dos shows do festival, acesse o site oficial. É possível assistir a algumas músicas do Def Leppard, Journey, entre outros.